domingo, 25 de fevereiro de 2018

Relatório DiBolso XV - João Müller

Começamos as atividades experimentando o uso do carbono, material pouco explorado em meio à faculdade onde usamos tanto os materiais convencionais do desenho, pintura e escultura. Explorar o carvão me remeteu à infância quando adorava a “magia” de ver o papel carbono em ação. É muito prático e interessante de se usar tivemos a oportunidade de usa-lo para extrair texturas de tecidos de renda e afins. Obtivemos resultados muito legais a partir desta atividade.

Usando os papéis nos quais fizemos uso do carbono, fizemos recortes e os preparamos para serem o miolo do “caderno de artista”, peça essa feita com a capa de fundo de um bloco de folhas, um pedaço de cordão elástico e um pouco de fita adesiva. Um objeto muito conveniente já que facilmente podemos mudar as folhas e assim renovar o interior do caderno. As texturas nas folhas agregaram em algumas artes feitas no interior, rabiscos, esboços, anotações.
Passamos então para a etapa seguinte que foi a confecção de nossos carimbos feitos com materiais variados. No meu caso confeccionei com folha EVA e isopor onde apliquei nas formas dos carimbos símbolos mágicos de um livro de fantasia e de HQs. Cada um de nós montou uma caixa personalizada para conter os carimbos. Tivemos uma manhã para todos experimentarem os carimbos uns dos outros.

Passamos então para a construção dos aviões de papel para a futura ação da “DispersaMente”, tivemos alguns aviões carimbados mas acabamos usando aviões limpos. Fizemos alguns desenhos de faces humanas para que os aviões interagissem com as mesmas e ainda desenvolvemos uma ilustração com destaque pelo tamanho, mais algumas frases em panfletos, panfletos esses que foram usados como suporte tanto dos aviões quanto para os “retratos”. Houve uma aceitação muito grande do publico que transitou durante a ação e para mim, o momento mais curioso foi quando percebi que alguns dos desenhos haviam sumido e notei-os na mão de uma mulher, consultei o professor e depois fui falar com ela e aí se tornou algo gratificante, pois, a senhora me pediu para fazer mais alguns desenhos para que ela e seu protegido, um garotinho, que não estava presente, pudessem colorir. Ela me contou que gostava de desenhar e pintar junto com ele e achou os desenhos lindos. Comecei a fazer e fui entregando a ela, depois encerramos a ação.

Seguindo o fluxo, passamos para a elaboração do portfólio, o meu era o mesmo do semestre passado, não havia mudado muita coisa, falta atualizar. Fiquei muito contente ao ver o portfolio dos meus colegas, alguns muito bons e com trabalhos incríveis.

Passamos então para os mapas mentais onde pesquisamos o que nos motiva, o que nos inspira, nosso método de trabalho e afins. No meu caso foi interessante demais ver como a organização do meu mapa, teve coisas tão próximas/relacionadas, separadas pela logo central, espalhadas quando deveriam estar mais próximas.  Tivemos uma boa reflexão a respeito disso.

Demos então inicio ao projeto final, a DiBolso, começamos elaborando as caras, cada um imaginando como seriam as suas, projetando suas relações, seus trabalhos pessoais e poéticas. No meu caso, demorei muito para conseguir pensar em algo e ainda definir os materiais com que iria trabalhar. Isso foi bom porque mesmo demorando, veio na hora certa e do jeito certo como costuma vir em minha situação de inspiração artística. Juntar meu combustível artístico e de bom convívio comigo mesmo foi a opção mais forte que veio até mim. Ao testar as tintas que cairiam melhor nas cartas, acabei vendo que de dois erros, fiz um acerto aos unir. Valeu muito a pena à opinião ter a opinião da minha amiga, Vanessa, que ao ver e apreciar verdadeiramente o resultado de erros com acerto, pude enfim aceitar o que já estava em meu coração e definir aquele “erro’ como o objetivo final. Com isso, todos com suas cartas prontas, decidimos o material que deveríamos usar para guardar as cartas da DiBolso. Após reflexão percebemos que com o prazo mais apertado e com a sugestão de um material interessante, optamos por fazer pequenas bolsas...? Sacolas...? Pacotes com tecido resistente e bom para aplicar tinta. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário